Apaixonar-se

Apaixonei-me por teus olhos cintilantes teus lábios marcantes abraços entusiasmantes tua euforia cativante Apaixonei-me pelo teu cheiro forte que impregnou meus sentidos deixando-me perdida entregue à própria sorte Não obstante retomei o controle abandonando as expectativas de amor para uma vida Enquanto você sem demora embriagava outros corpos tecendo tua mentira como outrora. Autora JeaneContinuar lendo “Apaixonar-se”

Amanhã talvez

Talvez amanhã seja despertado um novo prazerUm novo desejo de ser, que impulsione a acontecerTalvez amanhã haja mais luz com o solMais água no mar, menos peixe no anzol Talvez amanhã queira rir mais, falar maisSer ainda mais feliz, enfim… Talvez amanhã saia para dançar e volte a amarOu quem sabe, deliciar-se em si. TalvezContinuar lendo “Amanhã talvez”

Por que não devemos guardar ressentimentos?

Não importa o que fizeram com você, mas sim o que você vai fazer com o que fizeram para você. Não importa o que disseram a você, mas o que você escolhe guardar para si e como acredita ser quem realmente é. Não importam as escolhas do passado, mas o que você aprendeu com elas.Continuar lendo “Por que não devemos guardar ressentimentos?”

É (im)possível ser feliz sozinho

Um dos clássicos da bossa nova sentencia: é impossível ser feliz sozinho. Mas se tem uma coisa que a pandemia nos empurrou goela abaixo foi a solidão. O mundo ficou mais triste, isolado, e muita gente teve que aprender na marra a encarar a solidão. Na literatura, alguns personagens vivem com desfaçatez sua vida solitária,Continuar lendo “É (im)possível ser feliz sozinho”

Clube de ficcionistas – O filho de mil homens

Habitar à margem da sociedade é um convite para conviver com a solidão e todas as agruras e consequências por escolher ser quem realmente você é. Contudo, quando duas ou mais solidões se encontram é possível que novas conexões muito mais fortes sejam estabelecidas. Esta é a ideia do livro O filho de mil homensContinuar lendo “Clube de ficcionistas – O filho de mil homens”

Você sabe pedir ajuda?

Parece simples pedir ajuda, mas muitas pessoas resistem a isso. Pedir ajuda pode representar não só assumir a própria fragilidade, como a exposição dessa fragilidade para outras pessoas. Muitos não querem isso, é incômodo aceitar a própria fragilidade em um mundo feito para fortes. Além disso, pessoas aparentemente fortes, ou que se percebem mais predispostasContinuar lendo “Você sabe pedir ajuda?”

Como ser mulher em março

“Não adianta: feminista só é bem-vinda uma vez ao ano. Eu me sinto praticamente um panetone, com a diferença que o panetone (ou, sua versão de chocolate, pelo menos) é consenso; feminista, não.” estas palavras são de Marcella Rosa Abboud no livro Como sobreviver ao 8 de março e nos provocam sobre como a sociedadeContinuar lendo “Como ser mulher em março”

O discernir da vida

Façamos do tempo o nosso aliado… Sejamos emocionalmente inteligentes para perceber quando o que desejamos não nos convém. Fortes e destemidos para os recomeços, preparados para as más e boas surpresas. Que tenhamos maturidade para entender quando uma relação nos fere mais do que nos cura, e sejamos corajosos para optar pelo melhor para nósContinuar lendo “O discernir da vida”

O Alvo

Cogitava findo, acabado – no entanto,do início recomeçou:Olhares tímidos, risos sedutores, juras de amor…Era tudo como dantes e sempre; logo desmoronouZerado parecia, mas, novamente, a soma defluía Palavras agradáveis, cafés, bolo e cobertor…O relógio gira, o tempo voa,E continuamos dançando a música que a vida entoa:Por que retroceder, quando podes ir além?A vida é tuaContinuar lendo “O Alvo”

Você tem medo de quê?

O Medo pode ser nosso maior inimigo ao se tornar corrosivo e trazer consigo a negatividade. Quando corrói, destrói, impede de seguir. Temos medo do que o outro vai pensar e assim o outro vira o condutor do nosso eu. Ele reina e é soberano sobre nós. Um domínio psicológico de situações externas que muitasContinuar lendo “Você tem medo de quê?”