A moeda de um lado só

Uma das grandes artimanhas da literatura é seu poder de narrar a mesma história de diversas formas. Às vezes, ainda que com elementos repetidos, consegue-se  enxergar um enredo completamente novo e essa versatilidade faz com que os leitores nunca esgotem sua infinita lista de livros para serem lidos. Lançado pela primeira vez em 1969, oContinuar lendo “A moeda de um lado só”

Terra de Mazelas

Somos filhos desta terra donde o sangue tinge o chão expurgo das tristes mazelas que formaram esta nação. O assassinato do povo nativo exterminado e violentado aos milhões aos sobreviventes deram o nome de índio corrompendo sua alma nas missões O lamento do povo africano pele, sangue e suor servil supliciado ao lucro do brancoContinuar lendo “Terra de Mazelas”

As coisas que estão no mundo não podem voltar para os sonhos

Uma das forças que nos move é a inventividade. Em nossa breve passagem pelo planeta já transformamos a paisagem, interferimos diretamente na existência de outras espécies e despejamos resíduos até no espaço. Percebe-se então que a inventividade é uma via de mão dupla: aprendemos a controlar o calor, plantar nosso alimento, produzir derivados e interferirContinuar lendo “As coisas que estão no mundo não podem voltar para os sonhos”

A fantasia ao serviço da tolerância

Ler A História sem fim e Harry Potter para um mundo melhor A autora britânica Rosalind Jana escreveu num artigo: “To read is to exist in two places at once.” (Ler é existir em dois lugares ao mesmo tempo, em livre tradução). Como leitora, não posso discordar e ainda acrescento: essa dupla existência torna muitosContinuar lendo “A fantasia ao serviço da tolerância”